Festas, compras, encontros e desencontrosLeitura

Festas, compras, encontros e desencontros

A crônica “O encontro” pode ser encontrada no livro Comédias da vida privada (Porto Alegre: L&PM, 1996), de Luis Fernando Verissimo. Depois de lê-la, não se esqueça de clicar nas Atividades de Leitura logo abaixo do Glossário e no vídeo a seguir, no qual Letícia e Fernando falam sobre casais que se amam mas nem sempre se entendem.

Glossário

Ácido úrico: substância eliminada pelo corpo pela urina.

Animar (“não se animara a ir ao enterro”): ter impulso para fazer algo (“não tinha energias para ir ao funeral”).

Bolachas: biscoitos, tapa (figurativo).

Buraco: furo, jogo de baralho.

Caixa: local onde se efetua o pagamento em um estabelecimento comercial.

Carrinho: pequeno veículo, empurrado manualmente, usado para transporte de objetos; aqui, para transportar as compras no supermercado.

Encarar: olhar profundamente.

Engasgar: obstruir a garganta e ficar sem fala.

Enlatados: produtos alimentícios vendidos em lata.

Enterro: funeral.

Farsante: desonesto.

Gozado: estranho.

Pensão: quantia que se paga a alguém (ex-cônjuge ou filho, em especial) por determição legal.

Sacudir: agitar.

Amar, sim. Entender, nem sempre.

Casar pode parecer fácil, mas a convivência a dois tem lá os seus desafios. Acompanhe os depoimentos de Letícia e Fernando sobre o assunto no vídeo a seguir.

  • Tapas e beijos (Letícia e Fernando)

    Termos úteis

    Danado; aqui usado para enfatizar o tanto de trabalho; o mesmo que muito.

    Dar conta: conseguir fazer tudo o que é preciso.

    Esforço: ação feita com bastante ânimo.

    Feudos: expressão que remonta à Idade Média, quando as terras eram divididas entre os nobres, que criavam domínios isolados; tem um sentido de isolamento.

    Tapas: bater em alguém com a palma da mão.

    show/hide text

    Fernando: É, são vários casais que se amam e não se entendem, porque na verdade o casamento dá um trabalho danado, né? Então o investimento, o esforço… é… e às vezes as pessoas, por uma série de motivos, não dão conta, ou não querem fazer esse investimento, e aí acabam criando feudos, criando… é… pequenas separações que vão… que vão se fazendo… é… vai criando esse desentendimento, né?

    Letícia: É… não… eu… eu acho isso, eu acho isso que o Fernando falou. É… casamento a gente tem que querer tá (estar) casado, né? E às vezes as pessoas, por uma razão ou outra, vão cada uma partindo prum lado, e o desentendimento fica maior ainda. Eu conheço vários casais que eu acho que se amavam e acabaram se separando, ou se amam muito e estão juntos mas também vivem supermal, entre… como chama? Entre tapas e beijos, não é? Não tem uma música assim? “Entre tapas e beijos”… tem isso também. Eu acho que a gente tem muita sorte. E… eu estou casada, quero estar casada e vou continuar casada.

    Vivian: Mas vocês, assim, semp… se entendem sempre?

    Fernando: Quase sempre.

    Letícia: Quase sempre. Mas não é sempre.

    Fernando: Não é sempre. Não dá pra ser sempre.

    Letícia: Não, não dá pra ser sempre. Mas a gente tenta. O importante é querer tá (estar) junto. Mas não é sempre.

    show/hide text

    Fernando: Yeah, there are many couples who love each other but don’t get along, because in fact marriages require a lot of work, you know? So, the investment, the effort... sometimes people can’t handle it, for a number of reasons, or don’t want to invest in it, so they end up creating fiefs, creating small separations that become... creating disagreements, you know?

    Letícia: Yeah... no... I... I think so too, I agree with what Fernando said. In a marriage we need to want to be married, right? And sometimes, for whatever reasons, people start to grow apart and the disagreements get even worse. I know many couples that I thought loved each other and ended up separating, or that do love each other, are together but don’t get along at all, they live “entre tapas e beijos”, you know? Isn’t there a song like that? “Entre tapas e beijos”... there’s this kind of situation too. I think we are very lucky. And... I am married, I want to be married and will continue to stay married.

    Vivian: But do both of you always get along?

    Fernando: Almost always.

    Letícia: Almost always. But not always.

    Fernando: Not always. Always is impossible.

    Letícia: Not always, always really is impossible. But we try. What is most important is to want to be together. But we don’t always get along.