Festas, compras, encontros e desencontrosPano de fundo

Festas, compras, encontros e desencontros Pano de fundo

Como acontece em qualquer metrópole, a correria e a falta de tempo afetam todos que vivem nas grandes cidades brasileiras. Assim, muitos procuram os melhores momentos para fazer suas tarefas, tentar resolver suas coisas de forma a desperdiçar menos tempo. Não são poucos aqueles que decidem fazer compras durante a madrugada, em supermercados que funcionam 24 horas, por exemplo.

Essa prática bastante comum foi o tema que Luis Fernando Verissimo escolheu para sua crônica “O encontro”. No conjunto desta lição, baseada no texto do escritor e jornalista gaúcho, você conhecerá alguns detalhes daqueles que vão às compras enquanto quase todos dormem. Falaremos também sobre compras na feira, no mercado e pela internet, sobre vários tipos de festas e comemorações, e sobre encontros e desencontros. Na parte de gramática trabalharemos o pretérito mais-que-perfeito do indicativo.

Mercado fora de hora

Cada vez mais os grandes supermercados brasileiros funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana, em várias cidades do país. Isso ajuda as pessoas que têm uma vida muito agitada a se organizar no dia a dia. 

  • Eu já fiz! (Glória e Lúcia)
    show/hide text

    Vivian: Alguma de vocês costuma fazer ou já fez compras no supermercado de madrugada, ou no meio da noite?

    Glória: Já. Eu já fiz. Não com frequência, mas eu fiz umas duas vezes.

    Vivian: Por que, Glória, você fez compras…?

    Glória: Achei muito bom, mais vazio, num instantinho acabei com as compras, num instantinho. Fiz tudo e fui embora, é muito melhor, muito melhor.

    Lúcia: E o supermercado tá mais vazio…

    Glória: É, rapidinho!

    Lúcia: Você não perde muito tempo.

     

    show/hide text

    Vivian: Are either of you used to going, or have already gone, grocery shopping in the middle of the night?

    Glória: I have. Not frequently but I've gone maybe twice.

    Vivian: Why, Glória, did you go grocery shopping...?

    Glória: I thought it was pretty good, much emptier, I was finished in no time, in no time. I was done and left right away, it's much better, much better.

    Lúcia: The store is way emptier...

    Glória: Yeah, so quickly.

    Lúcia: You don't waste time.

  • Em Belém também tem (Pinduca)

    Termos úteis
    Belém: capital do estado do Pará.

    show/hide text

    Pinduca: Faz. Aqui… eu não sei dizer há quanto tempo já, mas adotaram o supermercado da noite toda, 24 horas. Então nós temos os supermercados aqui que fa… aqui em Belém, eu tô falando por Belém, não sei nos… nas outras capitais, mas aqui nós temos supermercado de 24 horas.

    Vivian: E você faz compras no meio da noite?

    Pinduca: Não! Ah, não dá!

    show/hide text

    Pinduca: Some do. Here... I can't say how long it's been, but they now have the grocery stores that open all night, 24 hours. So now we have the grocery stores, here in Belém, I can't speak for other capitals, but here we have the 24-hr grocery stores.

    Vivian: And do you shop in the middle of the night?

    Pinduca: No!

Encontro inesperado

É batata! Basta sair de casa apressado, desarrumado ou até mesmo descabelado para dar de cara com aquela pessoa que a gente menos quer ver. Quem nunca passou por isso? Veja o que diz a Letícia no vídeo abaixo.

  • É sempre aquela história! (Letícia)

    Termos úteis:

    Arranjadinha: diminutivo de arranjada; colocada em ordem; arrumada.

    Batata: gíria para demonstrar que alguma coisa vai inevitavelmente acontecer.

    Descabelada: com o cabelo despenteado.

    Escangalhada: desarrumada, desajeitada, desconjuntada.

    Rolinho: cilindro utilizado para enrolar cabelo.

    Terminar (um namoro): romper um relacionamento.

    show/hide text

    Letícia: É sempre aquela história: essa coisa de encontro inesperado é encontro com ex-namorado. Pergunta pra qualquer mulher e elas vão te dizer. Sempre quando você tá descabelada ou saindo do salão de rolinho, ou você tá mais, assim, escangalhada, você encontra um ex-namorado. Pode ser um ex-namorado que você terminou… sei lá… bom, eu já tenho quinze anos de casada, mas enfim, que você terminou há cinco dias ou dez anos, mas tem sempre essa coisa. Você tá sempre escangalhada! Nunca quando você tá linda, maravilhosa. Verdade ou é mentira?

    Fernando: Verdade.

    Vivian: E quando você encontra um ex-namorado, ou encontrava um ex-namorado inesperadamente, como é que era? Como é que você se sentia?

    Letícia: Eu só pensava: “Puxa, por que é que eu não tô linda? Por que é que eu não tô toda arrumada? Por que é que eu tenho que tá nessa situação aqui?” Ou então puxando uma criança, puxando a outra criança, no supermercado, 400 sacolas, menino correndo prum lado e pro outro. Por que que a gente não tá numa situação perfeita, né? É isso. É assim que eu me sinto. Só podia ser… né… a gente mais arranjadinha. Só isso.

    show/hide text

    Letícia: It’s always the same story: this thing about unexpected encounters is always with an ex-boyfriend. Ask any woman and they’ll tell you. Whenever your hair is a mess or you’re leaving the salon with rollers in your hair, or when you are looking horrible, you run into an ex-boyfriend. It might be a boyfriend you broke up with... I don’t know... well, I’ve already been married for fifteen years, but anyway, someone that you broke up with five days or ten years ago, there’s always this situation. You’re always looking horrible. Never when you’re looking beautiful, gorgeous, Is it true or not?

    Fernando: True.

    Vivian: And when you run into an ex-boyfriend, or whenever you ran into an ex-boyfriend unexpectedly, how was it? How did you feel?

    Letícia: The only thing I thought was: “Man, why am I not looking gorgeous? Why am I not dressed nicely? Why do I have to be in this situation here?” Or grabbing one child, grabbing another child, at the grocery store, four hundred shopping bags, the kids running all over. Why aren’t we ever in a perfect situation, right? That’s it. This is how I feel. It could just be with us looking nicer. That’s it.

  • Batata? (Glória e Lúcia)
    show/hide text

    Lúcia: Batata, isso aí é… por exemplo, é… uma coisa que… uma… uma história vai dar certo, aí “Não falei? Isso é… deu… é batata”. Eu já ouvi isso, mas...

    Glória: Batata é quando a coisa vai dar certo.

    Lúcia: É, vai dar certo.

    Glória: Pode fazer isso assim, assim, que é batata!

    Lúcia: Pode fazer isso assim que é batata! Aí dá certo.


     

    show/hide text

    Lúcia: Batata, this is... for example... something that... something will work out, “didn’t I tell you? This is... it worked out... é batata”. I’ve heard this before, but...

    Lúcia: Batata, it means when something will work out.

    Glória: You can do it like that, it’s batata.

    Lúcia: Yeah, it’ll work out.

    Lúcia: You can do it like that, it’s batata. Then it works out.